O que Jesus pensa de nós?

e4607a7f833df9bcc8f2a7c9b2445665

Todas as vezes em que leio Cânticos, gosto de fazê-lo como se Jesus houvesse escrito cada palavra para mim. Cada versículo soa como uma simples, mas estrondosa declaração de amor. E não me parece nem um pouco estranho, já que todos os capítulos estão recheados dessas declarações- da época, mas declarações – do noivo para sua noiva; e o que Jesus é, senão meu Noivo? E o que eu sou, senão noiva?

Jesus tem me ensinado dia após dia sobre algo que definitivamente mudou meu modo de pensar: Ele tem me ensinado sobre o valor de ser mulher; e não só isso, mas de ser uma mulher segundo Ele mesmo. Tenho percebido que todo o mover que Ele tem executado nessa geração tem passado entre nós, mulheres, com a mesma intenção: entender o valor que temos para disseminá-lo. É como se estivéssemos sendo moldadas e ao mesmo tempo treinadas para travar uma grande batalha do nosso modo.

Leia mais »

Quando Jesus ficou em silêncio

2d07f56bc3836b98cf49824894a0a2ba

No dia em que Jesus ficou em silêncio, eu já sabia o que iria acontecer.

Estava me sentindo como uma menininha acoada no canto do quarto com medo de uma tempestade. Os raios estouravam do lado de fora com força, faziam barulho, clareavam todo o espaço e, em menos de dois segundos, devolvia o breu, enquanto os galhos das árvores batiam na janela como uma visita indesejada. Encolhida ali, bem no canto, só tinha um punhado de lágrimas e o desejo de não estar sozinha.

E, pra minha sorte, eu não estava.Leia mais »

Pare de procurar um mozão

37ff3f6f0c9363f55f86e79ceba6eef6

A cada dia que passa, tenho encontrado uma geração de moças cristãs mais “desesperada” em procurar o tal do “namorado perfeito”, em busca do “casamento perfeito” e da “vida a dois perfeita”. Uma vez, uma amiga de vinte e cinco anos disse que já tinha passado da hora de casar; noutra, meninas de dezesseis/dezessete anos vieram até mim chorar pitangas por causa do carinha-que-ninguém-sabe-quem que transformou corações em cacos, dizendo que precisavam de “alguém”, que não queriam ficar sozinhas.

Por que tantas aspas? Simples: não existe namorado perfeito, casamento perfeito, vida a dois perfeita e não, você definitivamente não precisa de alguém.

Nós nos saímos muito bem no quesito “confiar em Deus” até a hora que chegamos na nossa vida sentimental. Ela é como aquela gaveta bagunçada que insistimos em esconder porque, na nossa cabeça, sabemos arrumá-la bem melhor que Jesus – e se você pensa assim, me perdoe, mas você está completamente enganada.Leia mais »

Queria fraquejar como Paulo

d3a2b559c8fa5ae97cc15f3051483acc

Pode ser que o título te assuste, mas continue lendo. Você vai entender. Ah, antes de começar a ler o post, dê uma passadinha em 2 Coríntios 12:7-10.

Essa semana, resolvi reler as cartas de Paulo. Não importa quantas vezes passe por elas, a cada vez que leio, Deus me apresenta uma nova perspectiva acerca do que ele escreveu. E, mais uma vez, cheguei ao versículo que, de tão citado, se tornou até meio clichê: “quando estou fraco, então sou forte”. (2 Coríntios 12:10b). Confesso que passei muito tempo sem entender esse paradoxo paulino, cheguei a achar que Paulo já estava meio louco quando escreveu isso, mas descobri que pra entender a fraqueza que ele cita, eu precisava viver uma experiência de fraqueza.

E eu vivi.

A fraqueza de Paulo estava no espinho que ele carregava na carne. Ele não se aprofunda acerca do que seria esse espinho, mas com toda certeza era algo que o deixava cambaleando vez e outra. Lutero defendia a ideia de que esse espinho seriam as perseguições que Paulo sofria por parte dos judeus, mas haviam outras situações que igualmente serviriam para delimitar o que seria o espinho na carne: os sofrimentos físicos, as vezes em que adoeceu, as lutas espirituais e psicológicas, etc. Mas, independente do que fosse, o espinho na carne de Paulo significava dificuldade, luta, guerra.Leia mais »

O dia em que me afoguei

3e9665cd08e597e93bc6d43bb4d3fe71

Eu sempre amei o mar. Quando chegava na praia, antes de entrar no mar, ficava pelo menos meia hora observando o ir e vir paciente das ondas às 7h da manhã; observava a maré subir, descer, ouvia o barulho das ondas quebrando lá longe, num monte de rochas qualquer, e sentia paz. Era bom observar o mar. Era bom sentir a água fria tocando meus pés, mas não me parecia suficiente.

Até que um dia, o Dono do mar me chamou pra mergulhar.

Sem boias.Leia mais »

Jesus pensou na Kéfera

kefera-canal-youtube-5minutos-pausa

Tenho certeza que Kéfera seria uma daquelas pessoas que Jesus chamaria para uma longa e tranquila caminhada, regada à conversa, desabafo e aconselhamento. Ele a convidaria para tomar um café no fim do dia e ali, ao redor da mesa, lhe contaria que muitos de seus irmãos deturpam Sua imagem, e aquilo que dizem não passa de uma miragem da cabeça humana.

Jesus não se importaria de mostrar as chagas nas mãos e a marca da lança na costela, e ainda diria a ela, com voz sublime e tranquila: meus irmãos acham que não, mas essas marcas também são por você.

Você provavelmente assistiu ao vídeo da Kéfera que gerou toda essa polêmica, certo? A internet parou por muitos dias pra falar disso e, claro, para que os cristãos 100% certinhos, dignos de serem chamados de arcanjos, pudessem emitir opiniões a respeito, que se alternaram entre pedidos de morte e de justiça da parte de Deus. Morte? Sim, morte. É bastante bizarro pensar que palavras de maldição saíram de pessoas que deveriam refletir um pouco de Cristo aqui na terra, mas aconteceu.Leia mais »

Hora de pedir perdão

0c4c9a0a7683fe50aafe5c430802b214

Nesses últimos dias, tenho pensado muito sobre o papel da Igreja nesse tempo. E quando falo em Igreja, não falo de denominações, mas das pessoas que a compõem – nós. Há muito tenho visto a Igreja se desviando do propósito de Deus para a humanidade, e esse distanciamento não tem sido unitário, mas coletivo. O discurso de amor que Jesus deixou para seguirmos virou um discurso de ego onde, se o seu próximo não atender aos requisitos mínimos, não é digno de amor, graça e misericórdia. A seletividade da vida cristã tem nos levado à seletividade da Igreja e da sua própria capacidade de influenciar para transformar.

Ainda não entendemos que “ser Igreja” não é viver dentro de um templo entoando louvores do Cantor Cristão e esperando pacientemente a volta de Jesus, sentados em nossas poltronas colchoadas, com ar condicionado nos 20º. Ser Igreja é viver o Evangelho de tal forma a transportar o céu pra terra – e isso só acontece fora. Out. A Igreja só faz sentido se for vista do lado de fora, porque convenhamos: luz não clareia luz. Leia mais »